terça-feira, 28 de setembro de 2010

Imaginarium


Quando te conheci me deu vontade de escrever
De juntar tudo e remeter,
Tive a certeza de que nada mais iria perecer
E em toda direção que olhava só via amanhecer.

Quando te conheci dei pra querer ser pra todo mundo quem já era só pra mim,
Me deu vontade de aprender até latim,
Tudo e qualquer coisa que te voltasse para mim.

Te jurei amor à banguela,
Anunciei teu nome por entre as vielas,
Joguei fora minhas roupas de festa,
Fiz planos sem modéstia...

Quando te conheci sagrei-me tua por inteiro,
No frio de junho e no calor de janeiro,
Tinha ânsia de ser amor derradeiro.

Contigo envelhecer frente à uma lareira,
Ser tua morada para a vida inteira,
É como se para viver só houvesse essa maneira.
Pois para somente existir, só preciso de uma (a minha) vida verdadeira.






3 comentários:

: ] disse...

adorei seu blog :)

: ] disse...

comenta o meu ( http://flaviacortez.blogspot.com/)

L. Figueiredo disse...

Irei comentar!

Postar um comentário