quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Life is loop!

Ele diagnosticou que a receita para a felicidade é viver um dia de cada vez, e receitou que é preciso valorizar as coisas simples da vida, o que se tem perto do colo, o que é nosso independentemente das circunstâncias. Mas ela não acreditava nisso. Ela acreditava piamente que somente ele, o autor das receitas, poderia em sua essência, fazê-la feliz. Ela já o idealizava muito antes de tomar conhecimento que ele viria a ser real. Ela o amava antes de saber que em sua vida ele seria fatal. Mas, e se ele fosse impossível? Bem, nesse caso todo o resto se tornaria impossível para ela também, começando pelo seu estado de paz. Ela o desejava como deseja o poeta cansado à morte premeditada. Ela o pressentia como pressente o intuito das mães mais amáveis do mundo. O forte dela não era a relação com outras pessoas, essas em dado momento lhe negaram refúgio, mas isso não implicava em nada sua pulsão por ele. Era ele algo maior, superior, próximo do divino. E isso a fascinava, equilibrava, ao mesmo passo que desnorteava, alucinava. Agora era fácil se perder em devaneios em pleno meio dia, agora não se podia conter mais nada, inclusive os calafrios. Ela tinha a alma marcada, um tanto cansada, e talvez por isso escondesse dele e do resto do mundo, por entre versos mal rimados e personagens inventados, sua face mais bela. E pra ele isso era pecado. Pecado sem perdão, sem direito a defesa de vocabulário ou escapulário. E pra um sacrilégio desses, o inverso do amor ele receitou. Indiferentemente ele a tratou. Aos olhos dela, ele submergiu, transcendeu por entre a iniqüidade dos homens, e naquele momento ele não passou de um humano comum. E materializaram-se nela todas as dores do mundo, chegando a desejar a morte como fuga, sentiu-se a mais imortal de todos. E naquele momento ela o odiou, mas só por aquele momento...

[Continua...]

6 comentários:

Raphaella disse...

AMEEEEIII! Quero parabenizar minha amiga L. Figueiredo por esse dom de escrever, queria ter pelo menos 5%, mas enfim! Aproveitar para agradecer por eu ter sido a primeira pessoa a ver esse texto aqui no blog, fico muito honrada por eu estar participando desse momento!!!
[JAH_BLESS_YOU]

Da sua eterna amiga...
Raphaella Behring

Flávia Cortêz disse...

eu queria escrever assim :(

Marcelo Tavares disse...

Oi Larissa, obrigado pela visita. =)

Sara disse...

Aqui em todo lugar ela escreve muito bem.
Te amo Larissa

Pablo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pablo disse...

Vc tem o dom de escrever bem*

S2

Postar um comentário